Vilas Magazine
Lauro de Freitas
+26°C

Máx +29°

Mín +25°

Dom, 02.02.2014

Prefeitura deve abandonar ideia da Zona Azul este ano

Redação - Em 31/10/2016

A tentativa da prefeitura de Lauro de Freitas de licitar ainda este ano a implantação do estacionamento pago em via pública – a chamada “zona azul” – deverá ser abortada, segundo apurou a reportagem da Vilas Magazine. Diante das críticas à iniciativa, intensificadas no mês passado, a única posição conhecida da prefeitura foi veiculada por meio de uma página no Facebook atribuída à Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Ordem Pública. Uma postagem de 13 de outubro avisava que “o processo de Zona Azul segue na fase licitatória interna”.
 
Embora a ideia de implantar a Zona Azul venha de maio de 2015, só em julho último a prefeitura revelou publicamente alguns detalhes do projeto, durante reunião da Associação de Comercial de Lauro de Freitas com empresários do Centro e que a Vilas Magazine noticiou em primeira mão. Na ocasião, muito em função das críticas da plateia, prepostos da prefeitura avisaram que a ideia ainda era “preliminar”, mas logo em setembro seria publicado um edital de licitação para exploração do serviço – já retirado pela prefeitura “para maiores adaptações”, de acordo com a postagem. O montante envolvido no negócio seria de cerca de R$ 65 milhões.
 
A avenida Praia de Copacabana, em Vilas do Atlântico, era uma das “áreas piloto” que a prefeitura vinha estudando para implantar o estacionamento pago.
 
Outros locais da cidade que deveriam receber o sistema incluem Buraquinho, Jardim Aeroporto, o entorno do Largo do Caranguejo, Portão e Ipitanga.
 
O tempo de permanência no Centro deveria ser de uma hora, com tolerância de mais uma. O usuário pagaria R$ 3 por hora pelo direito de estacionar em via pública. Os comerciantes já naquela altura protestaram contra a ideia, mesmo em termos preliminares, argumentando que uma das vantagens do comércio de rua em relação aos shopping centers é ter estacionamento gratuito.
 
O presidente da Associação Comercial Ricardo Souza defendeu na ocasião que qualquer mudança que implique em aumento dos custos dos empresários ou que vá impactar o faturamento das empresas teria que ser precedido de debates com a categoria.

 

Publicidade
Vilas Magazine© 2013. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Webd2 - Desenvolvimento Web