Vilas Magazine
Lauro de Freitas
+26°C

Máx +29°

Mín +25°

Dom, 02.02.2014

A sociedade brasileira atual

Jaime de Moura Ferreira - Em 12/12/2017

O mundo mudou! E com ele o nosso País. No entanto, embora algumas reportagens mostrem coisas belas, prazerosas, que se materializam em orgulho do povo brasileiro, a maioria é de descalabro, incompetências e práticas não aspiradas, para os seres que desejam um Brasil diferente.

A sociedade brasileira é representada pelas diversas pessoas, que a constitui. Todavia, com algumas exceções, essas pessoas, por falta de consciência evoluída, por deseducação e interesses próprios, além de praticarem desvirtuamentos, apoiam os maus feitores e contribuem para a corrupção deslavada, que reina no Brasil. Sem dúvidas, vive-se uma situação caótica. Essa posição gera a vergonha, insatisfação, desrespeito e malefícios.
 
Algumas manifestações populares são identificadas, porém sem grandes representações, as quais, notadamente, apresentam a disputa de rua entre a direita e a esquerda.
 
A corrupção institucionalizada pelos três ‘poderes independentes’ (sic) da República, que gera um grande conflito entre eles, desmascarado diariamente pela mídia, também contribui para essa situação desregrada em todos os demais segmentos socioeconômicos, inclusive nas pessoas que não possuem firmeza de espírito, ou que estejam a mercê de favores diversos. Assim, surge a apatia da população, causada, principalmente, por interesses inconvenientes ou falta de atuação consistente.
 
Por outro lado, os poderes públicos estão mais interessados na disseminação do neopopulismo, nas vaidades com suas posições e na enganação permanente e, por isso, falta-lhes a rapidez e competência para definição de medidas que interessem à população, que elevem a imagem do Brasil, no exterior, além de se descuidarem da legitimidade para a democracia.
 
As reformas que são divulgadas, segundo a própria imprensa, beneficiam a classe capitalista, ou seja, a acumulação de capital, para poucos. É evidente que essa situação interessa ao Congresso Nacional, constituído por senadores e deputados federais, pois os mesmos, além de representarem essas classes beneficiadas, dependem de propinas que sustentarão suas campanhas eleitorais, também com divulgação, diária, pela mídia. Então, ocorre a polarização desse Congresso, atualmente constituído de 35 partidos, dos quais a maioria é representada por aliados. Dessa forma, pode-se concordar com a mídia quando divulga: “os políticos não querem o bem do Brasil e sim atender suas benesses”.
 
Os seres humanos que vivem da honradez e do cumprimento das leis, que representam a maioria, são vilipendiados e destroçados, pagando a conta da corrupção existente.
 
Que País é este? Por que nossa luta por um Brasil diferente, não o modifica? Até quando se suportará essa situação?
 
Dizem os letrados que o Brasil é um produto da cultura existente. Sempre houve corrupção no País. Até acredito. Porém, por que aceitamos as coisas como estão? Está correto a degeneração do serviço público, inclusive com elevada burocracia? Tem-se notícia, diária,da persistente investigação da Polícia Federal às grandes empresas e ao Congresso Nacional. Está correto essa ocorrência, para uma nação? Não parece que essa situação deveria ser exceção e não regra? O que se deve fazer?
 
Pior é que existe um apoio generalizado aos políticos incompetentes, corruptos e despreparados, faltando líderes que pensem em servir à população e não serem servidos por ela, com enganação ostensiva. Então aparecem os ‘salvadores da pátria’, os aproveitadores e os novos políticos. E a população, mais uma vez, é enganada. O pior é que tudo que se busca, de mudanças e realizações, depende de políticos.
 
Toda essa situação existente no Brasil decorre da ineficiência da educação pública e privada. As escolas devem produzir conhecimento. Para isso, deveriam, de imediato, passar por uma grande mudança no ensino e aprendizagem, quando se buscasse a criatividade, honestidade, responsabilidade, oportunidade, evolução do conhecimento e dinamismo. Para tanto, necessário seria a atuação intensiva dos diversos vetores, inclusive governo, família, professores e alunos. Acima de tudo a preparação para a evolução espiritual. Existem poucos casos a esse respeito.
 
Vale lembrar o avanço tecnológico nos diversos setores da produção e de profissionais. Porém, esse desenvolvimento está sendo provocado pelos próprios. Lamentavelmente, a melhoria emocional das pessoas não acompanha o crescimento tecnológico.
 
Sem dúvidas, já existe “uma luz no final do túnel”, quando se vê políticos, empresários e autoridades sendo presos, ou destituídos de suas funções, quando a “lei acima de todos” é respeitada. Porém, ainda é muito pouco para orientação da sociedade.
 
Nas redes sociais, que muito avançaram, o que se vê é ódio, incoerências, xingamentos, dos dois lados, notícias improcedentes e muitas atitudes depreciativas.
 
Sem dúvidas, essa situação não consertará a sociedade brasileira.
 
Jaime de Moura Ferreira é Administrador, consultor organizacional, professor universitário, escritor, ambientalista, sócio fundador do Rotary Club Lauro de Freitas. E-mail: jamoufer@atarde.com.br

 

Publicidade
Vilas Magazine© 2013. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Webd2 - Desenvolvimento Web