Vilas Magazine
Lauro de Freitas
+26°C

Máx +29°

Mín +25°

Dom, 02.02.2014

90% dos acidentes com crianças em casa podem ser evitados

Thiago Braga / Folhapress - Em 01/07/2018

As quedas lideram o ranking de acidentes domésticos, mas pequenos cuidados ajudariam a diminuir as ocorrências
 
Acidentes domésticos como afogamentos, quedas, queimaduras e intoxicações ainda são a principal causa de morte de crianças no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, 13 crianças morrem por dia no país em decorrência deste tipo de acidente. Mas de acordo com especialistas, 90% dos acidentes podem ser evitados. As quedas representam quase metade das ocorrências. Por possuir a cabeça proporcionalmente mais pesada que a de um adulto, o centro de gravidade de uma criança é mais alto, o que influencia diretamente no seu equilíbrio, facilitando os tombos.
 
Para evitar que os pequenos se machuquem, não ter tapete em casa e móveis baixos já ajuda. Mas tudo isso sem tirar a independência, afinal explorar o ambiente à sua volta faz parte do desenvolvimento. “É preciso muita supervisão, mas tem que dar espaço para ela explorar sem tirar a liberdade. Tem que adaptar o ambiente, tirar os riscos maiores, porque criar autonomia é importante para eles”, afirma Gabriela Guida de Freitas, gerente-executiva da ONG Criança Segura, entidade que atua na prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos.
 
Dentro de casa, qualquer ambiente é preocupante. Mas um dos que mais requer atenção é a cozinha. O cômodo pode conter produtos de limpeza e existe o risco de eles serem ingeridos acidentalmente. Também oferece risco de queimaduras, isso sem falar nos objetos cortantes, como facas. Por isso, as dicas são tentar usar sempre as bocas de trás do fogão e colocar os cabos das panelas virados para dentro para não serem alcançados pelas crianças, para que elas não virem a  panela sobre si, derramando líquidos quentes nelas.
 
Banheiro exigemais cuidado
Quando se tem crianças em casa, todo cuidado é pouco, porque qualquer coisa, desde um brinquedo até um simples banho pode ser fatal. “Para uma criança de até três anos de idade, três dedos de água são o suficiente  para um afogamento”, ressalta a pediatra Cylmara Aziz. Para ela, o banheiro é um lugar que exige cuidado redobrado. “O afogamento pode acontecer na banheira, mas também no vaso sanitário ou até mesmo em um balde”, afirma.

 

Publicidade
Vilas Magazine© 2013. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Webd2 - Desenvolvimento Web