Vilas Magazine
Lauro de Freitas
+26°C

Máx +29°

Mín +25°

Dom, 02.02.2014

Projeto Ilhas: “Não sei por quanto tempo mais consigo manter o projeto funcionando”. Professor Henrique Moitinho.

Moreno Sesti, com supervisão de Thiara Reges - Em 01/07/2021

O Projeto Socioambiental Ilhas, criado pelo professor Henrique Moitinho, vem encontrando dificuldades de se manter, até por conta das restrições impostas pela pandemia. O projeto, pioneiro no município de Lauro de Freitas, atua há 15 anos com inclusão social e geração de renda, através de cursos gratuitos de capacitação digital, compartilhando com centenas de jovens noções de informática e eletrônica, além de espalhar a semente da preservação ambiental e coleta seletiva de lixo eletrônico.

Ao longo desses 15 anos, foram coletadas mais de 28 toneladas de lixo eletrônico e aproximadamente três mil alunos fizeram pelo menos um dos cursos oferecidos pelo projeto, que possui um público bem diversificado. Cada um desses alunos fica responsável também por compartilhar o conhecimento que adquiriram com suas comunidades, multiplicando assim a essência do projeto.

Com as restrições impostas pela pandemia, o projeto vem perdendo força ao longo do último ano. Dos oito ecopontos espalhados pela cidade sobraram apenas um, que fica na sede da SALVA (ao lado da entrada do Parque Ecológico), em Vilas do Atlântico. Para complicar ainda mais a situação, o contrato que garantia o apoio financeiro, compartilhado há anos com a Prefeitura, se encerrou em 2020, não sendo renovado para este ano.

O professor Henrique Moitinho tira do seu próprio bolso os R$ 3.600 que fazem o projeto continuar andando sozinho desde o início de 2021. “Sonho com esse projeto todos os dias. Quero que todo mundo se conscientize sobre o problema ambiental do lixo eletrônico e poder fazer isso ajudando as pessoas a se capacitarem e gerarem uma fonte de renda para suas famílias, é ainda mais gratificante. Dou minha vida por esse projeto. Tiro do meu bolso esse dinheiro, mas não vou conseguir ficar assim por muito tempo”, desabafa Henrique Moitinho.

Empresas e também pessoas físicas podem ajudar com a manutenção do Projeto Ilhas. Para conhecer mais as ações do projeto e ajudar, interessados podem acesse o site www.projetoilhas.com.br 

“O curso de informática abriu as portas para meu primeiro emprego. E antes disso, me ajudou financeiramente com a venda das peças dos materiais. Sou muito grata ao Projeto Ilhas por me trazer, ao mesmo tempo, tanto conhecimento e consciência social”.
Suzana Kelly, estudante de 20 anos, uma das alunas que passou pelo Projeto Ilhas.

“Terminei o curso aos 12 anos. Isso foi fundamental para meu currículo, pois me desenvolvi até a parte avançada do curso de informática. Hoje sei trabalhar com Excel, Corel Draw e outros programas avançados. Aprender cedo fez toda a diferença pra mim”.
O Projeto Ilhas também ajuda crianças a desenvolverem suas habilidades desde cedo. Cleiton Carvalho, hoje com 19 anos, é um exemplo disso.
 

Publicidade
Vilas Magazine© 2013. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Webd2 - Desenvolvimento Web