Lauro de Freitas aplica vacina bivalente em grupos especiais

0
533
vacina bivalente em grupos especiais
Foto: Lucas Lins

A Prefeitura de Lauro de Freitas iniciou dia 27 de fevereiro a imunização contra a Covid-19 com a vacina bivalente, seguindo o calendário determinado pelo Ministério da Saúde. De acordo com o cronograma nacional, nesta primeira fase devem ser imunizadas pessoas com 70 anos ou mais de idade, idosos residentes em Instituições de Longa Permanência (ILPI), pessoas imunocomprometidas acima de 12 anos e povos quilombolas.

A vacinação acontece nas Unidades de Saúde da Família (USF) Vida Nova/Caji, Irmã Dulce em Portão, Jardim Independência, São Judas Tadeu, Tarumã e Espaço Cidadão na Itinga, Manoel José Pereira no Capelão, Pe. João Abel (Jambeiro), Antônio Carlos Rodrigues em Areia Branca e Parque São Paulo, das 8h às 15h. Outra opção é utilizar o drive thru do Ginásio de Esportes do Aracuí, que funciona das 8h às 12h.

O imunizante bivalente aumenta a proteção contra as cepas já identificadas do coronavírus, incluindo a variante Ômicron. Para receber essa dose da vacina bivalente é preciso ter concluído, pelo menos, o esquema primário completo de duas doses com as vacinas monovalentes, respeitando o intervalo mínimo de quatro meses da última dose de vacina contra covid-19 (monovalente) recebida.

Para todos os grupos é necessário apresentar documento de identificação oficial com foto, CPF, cartão SUS e apresentar o cartão de vacinação com a descrição das doses anteriores. Pessoas imunocomprometidas devem apresentar também o laudo médico em versão original e cópia.

O início dessa nova fase de vacinação foi marcado por uma solenidade especial, em Brasília, em que o vice-presidente da República Geraldo Alckmin, que é médico, aplicou a vacina no braço do presidente Lula (dir.). Presente no evento, Soraya Smaili, coordenadora do SoU_Ciência, destacou a importância do simbolismo do momento, “que representa a retomada da imunização no país”. Ela acredita ser de fundamental importância a realização de grandes campanhas de incentivo. “É preciso que o estímulo seja tratado como política pública, trabalhando junto à sociedade todas as informações de proteção e segurança já evidenciadas pela ciência. Precisamos voltar a ser o país exemplo mundial que por muito tempo fomos quando o assunto é vacinação”, conclui.

lula recebe vacina bivalente
Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui