domingo, junho 26, 2022
spot_imgspot_img
InícioCulturaCena Cultural de Lauro de Freitas perde Duzinho Nery

Cena Cultural de Lauro de Freitas perde Duzinho Nery

As luzes dos palcos de Lauro de Freitas foram por muitos anos a maior paixão do diretor teatral, ator e produtor cultural Nivaldo Nery. Desde muito cedo a arte se confundiu com a história de sua vida e aos 44 anos de idade era considerado um dos maiores nomes da cultura do município. Duzinho, como era conhecido por toda a cidade, faleceu na manhã do dia 29 de dezembro, após lutar arduamente contra um linfoma.

Amparada por amigos e familiares que cercaram a residência onde Duzinho sempre viveu, para lhe prestar as últimas homenagens, dona Lindóia Nery lembrou emocionada do filho do meio, mostrando detalhes da casa como quadros, estatuetas e as inúmeras máscaras incas, maias e astecas trazidas por ele durante suas viagens ao redor do mundo. “Duzinho amou a vida e viveu intensamente”.

Em suas redes sociais, a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, secretários e artistas lamentaram a perda. “A cena artística da nossa cidade está de luto. Com muita tristeza recebemos a notícia da partida de Duzinho. Manifesto aqui minha tristeza pela partida deste jovem que sai de cena de maneira precoce”.

Católico fervoroso e devoto de São Miguel Arcanjo e Nossa Senhora Aparecida, desde cedo Duzinho revelou sua vocação para a arte. Volta e meia um poema novo era recitado, peças teatrais elaboradas na escola e rigorosamente ensaiadas, a participação em gincanas que atraiam centenas de pessoas no início dos anos 90 e a atuação constante no grupo de jovens da igreja, fizeram parte da rotina do ainda garoto Duzinho e deram a base à sua veia artística.

Inspirado pela fé cristã, começou a escrever a peça teatral A Paixão de Cristo, encenada todos os anos, em praça pública, durante os três dias da Semana Santa, com atores locais. “A peça é um marco por que, além de contar a história do mestre da humanidade, era interpretada por pessoas da comunidade, que se reconheciam na história de Cristo”, relata o historiador, Gildásio Freitas.

Além de sua atuação artística, Duzinho Nery foi subsecretário municipal de Cultura, de 2013 a 2016, criou o Festival Ipitanga de Teatro (FIT), que trouxe à cidade espetáculos de vários lugares do Brasil, e foi o mentor da Cia. Távola de Teatro. “Duzinho era alegria, era pura festa. Ele tinha o jeito dele, com opinião forte, mas ao mesmo tempo era uma pessoa muito carismática, atraindo as pessoas para perto dele”, falou o amigo de infância Djair de Deus. “Ele plantou uma árvore em frente à minha casa e por coincidência foi neste mesmo ano que nasci. A arte de Duzinho me inspirou e hoje estudo teatro também”, disse.

Conhecido em toda a cidade, Duzinho se consolidou como sinônimo do Carnaval, assumindo o posto de Rei Momo, em Salvador e em Lauro de Freitas. Essas experiências estão relatadas no livro “O Diário do Rei”, lançado dia 9 de dezembro, no Cine Teatro de Lauro de Freitas. “Ele brindou a vida, viveu intensamente e fechou as cortinas do palco com chaves de ouro como só uma majestade pode fazer”, declara o amigo Lucas Lins.

Duzinho Nery foi sepultado no Cemitério Bosque da Paz.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- P u b l i c i d a d e -
Google search engine

EM ALTA

COMENTÁRIOS RECENTES