domingo, junho 26, 2022
spot_imgspot_img
InícioNotíciasCidadeCentenário do Pé de Oiti nas comemorações dos 60 anos da emancipação...

Centenário do Pé de Oiti nas comemorações dos 60 anos da emancipação de Lauro de Freitas

Estudantes da rede municipal de Lauro de Freitas homenagearam o centenário do Pé de Oiti , árvore frutífera, símbolo e referência histórica do município, através de um encontro especial com antigos moradores da cidade. No evento, que aconteceu dia 19 de abril, no Centro Comunitário da Paróquia Santo Amaro de Ipitanga, os antigos contaram suas memórias em uma roda de conversa, com direito também a exibição de documentário e recital de poesias preparado pelos estudantes.

Das muitas histórias contadas, dona Antônia da Luz se lembra das festas tradicionais ao redor do Oitizeiro. “Lembro que nós brincávamos ao pé da árvore. Os mais velhos faziam churrasco de boi, porco e carneiro nos tempos das festas, tudo embalado por muito samba, tinha até mulher que tocava pandeiro! As roupas eram feitas especialmente para estes encontros e a gente guardava a mesma roupa para a procissão de Santo Amaro”, declarou.

Rui Franco, lembrou do Baile do Catari: “era uma festa grandiosa que a gente fazia no Pé de Oiti . Nós fechávamos tudo em volta da árvore com folhas de palmeiras e fazíamos a festa com o dinheiro que arrecadávamos após pedir de porta em porta”, lembrou sendo completado por dona Hilda Santos. “Eu era muito pequena e minha mãe não me deixava ir, eu morria de vontade de ir. Minhas irmãs mais velhas iam à festa no Pé do Oiti , mas com hora marcada para voltar”, lembra.

A homenagem faz parte do projeto de Educação Patrimonial (Memória, Patrimônio e Identidade), lançado no mesmo dia pela Secretaria Municipal de Educação de Lauro de Freitas – SEMED, que promete em breve lançar o edital para a participação de estudantes de toda rede municipal de ensino. A iniciativa terá culminância no sexagésimo aniversário da emancipação política de Lauro de Freitas que será comemorado em 31 de julho. De acordo com Idaci Ferreira, coordenadora de projetos especiais para a Cidade Educadora da SEMED, os alunos serão estimulados a irem a campo pesquisar e criar documentários com detalhes históricos ainda não falados sobre a cidade, como por exemplo, a origem dos nomes das ruas e entrevistas com antigos moradores de cada região da cidade.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- P u b l i c i d a d e -
Google search engine

EM ALTA

COMENTÁRIOS RECENTES