Crianças e adolescentes de Mata de São João participam de projeto gratuito para formação de orquestra sinfônica

0
905
Mata de São João terá Orquestra Sinfônica

Já imaginou assistir a apresentação de uma orquestra sinfônica tendo como cenário de fundo toda a beleza histórica das ruínas do Castelo Garcia D’ávila, em Praia do Forte?

Muito em breve isso será possível, através da Sinfônica Garcia D’ávila, projeto que inicia jovens no universo da música.

As aulas práticas, ministradas pelo renomado maestro Luciano Calazans, além dos músicos Luciano Afro e Jocimar Moura, começaram em agosto, com alunos bem empolgados e empenhados em aprender. As crianças, entre 10 a 15 anos, foram selecionadas com o apoio da Secretaria de Educação da Prefeitura de Mata de São João, cidade onde a Fundação Garcia D’Ávila se encontra e atua.

O maestro Luciano Calazans explica que as aulas acontecem todas às quartas e sextas, nos turnos matutino e vespertino, para contemplar todas as crianças. Para ser selecionado para o projeto, não foi necessário um conhecimento prévio sobre música, apenas o desejo de aprender.

Viabilizadas pelo Faz Cultura, com patrocínio do HiperIdeal, as aulas seguem até junho de 2023, e neste período as crianças e adolescentes passarão por dois módulos: o primeiro tem como foco inserir os alunos na vivência da música, já o segundo será voltado para apresentações, formação e aperfeiçoamento nos instrumentos escolhidos.

“O projeto inicialmente tem duração de 10 meses, e até lá esperamos que os alunos já tenham percepção de harmonia, canto e toquem os instrumentos que tenham criado mais apreço. Ao decorrer do tempo, torço para que o projeto se estenda e essas crianças e adolescentes evoluam cada vez mais”, frisou Luciano Calazans.

Aulas de música da Orquestra Sinfônica

Cabe destacar que as aulas em si, já são um experiência à parte. O grupo se reúne embaixo da gameleira sagrada do Castelo Garcia D’ávila, para estudar a teoria musical, percepção e voz, bem como violino, flauta doce, violão, instrumentos de percussão e xilofone. Ainda estão na lista dos instrumentos para o projeto da sinfônica, o violoncelo, instrumentos da classe de metais, clarinetes e diversos outros.

Geisy Fiedra, presidente do Conselho Curador da Fundação Garcia D’ávila ressalta que as orquestras sinfônicas são necessárias para a cultura do Brasil e da Bahia, sobretudo pelo papel transformador que a música, assim como o esporte, exerce na sociedade.

“A Sinfônica Garcia D’Ávila permite que crianças de comunidades de baixa renda tenham acesso a instrumentos que sabemos terem custo elevado, a exemplo de violinos, violoncelos, baterias, dentre tantos outros. E espero que eles não parem por aqui, que usem o aprendizado com a música para serem atuantes em suas comunidades, no nosso estado e no Brasil. Então acho que esse projeto faz com que possamos sonhar com a música, com a cultura e com a arte. E daí a inspiração, inclusive, do nosso slogan: musicando sonhos”, afirmou.

Ao final dos módulos, a Sinfônica Garcia D’ávila fará apresentações ao público, e os alunos estarão habilitados para ingresso em orquestras sinfônicas e diversas atividades musicais.

“Tudo que a gente se propõe a fazer requer paixão. Costumo dizer que nada é difícil quando nos entregamos por inteiro. Assim como a vida, que se você não tiver paixão pela vida, não consegue viver. E assim é com a música, se não tiver paixão, não consegue chegar a lugar algum. A arte requer paixão!”, concluiu Luciano Calazans.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui